Breakdance nas Olímpiadas de Paris 2024

CampeonatosBreakdance nas Olímpiadas de Paris 2024

Compartilhe!

O surf e o skate chegaram nas Olimpíadas pela primeira vez em Tokyo 2020, e agora nessa em Paris, teremos mais uma modalidade da cultura urbana disputando medalhas – o Breakdance – que chegou para sacudir as competições dos Jogos Olímpicos.

Saiba como foram as classificatórias, o que esperar dos representantes brasileiros e também sobre como essa arte começou. Confira!

História do Breakdance

O breakdancing, também chamado de b-boying, surgiu em 1970 no Bronx, Nova York. Uma dança de rua com influências da cultura hip hop. Os dançarinos são chamados de b-boys e b-girls. Eles costumavam praticar a dança em festas de rua, com a combinação de  movimentos acrobáticos, giros no chão, saltos e muita desenvoltura rítmica.

Aos poucos a dança se tornou popular mundialmente, ganhou destaque em vários filmes, programas de televisão, concursos de dança, se tornou uma febre.

Hoje, o breakdance é uma forma de arte respeitada e reconhecida internacionalmente. Os dançarinos continuam a inovar e desenvolver novos movimentos e estilos de dança, e agora é um esporte olímpico.

Por que o breakdance fará parte das Olímpiadas?

Os Jogos Olímpicos já mostraram que tem inovado com novas modalidades, que inclusive com tanto sucesso como o caso do surf e skate, seguirão permanentes em mais um ano de competições.

O breakdance foi testado em Buenos Aires, na Olimpíada da Juventude 2018. É um estilo de dança que mistura elementos urbanos com capacidade atlética, afinal todos os movimentos e acrobacias exigem muita técnica, para ter uma excelente finalização e evitar lesões.

Essa escolha tem o propósito de atrair o público mais jovem, para prestigiar as Olimpíadas. Fora que o breakdance é um movimento olímpico, presente na World DanceSport Federation (WDSF), que apesar de ter sido fundada em 1957, os primeiros Jogos Mundiais da WDSF foram realizados em 2013 em Taiwan.

Veja o calendário das classificatórias

No Campeonato Mundial de 2023 a competição definiu um vencedor do feminino e um do masculino. Agora em 2024 são disputadas as últimas 14  vagas da competição.

  • 12 e 13 de maio de 2023: Campeonato Africano de Breaking WDSF em Rabat, no Marrocos
  • 21 de junho a 2 de julho de 2023: Jogos Europeus em Cracóvia, na Polônia
  • 23 de setembro a 8 de outubro de 2023: Jogos Asiáticos na República Popular da China
  • 20 de outubro a 5 de novembro: Jogos Pan-Americanos em Santiago, no Chile
  • Março a Junho de 2024:  Série de classificatórios olímpicos (SCO) – última etapa que define as 14 vagas restantes.

Brasileiros classificados no breakdance

A equipe brasileira conta com 12 dançarinos classificados que ficaram uma semana no Centro de Treinamento (CT), passando por exames, treinamentos, orientações, aprendendo sobre o universo olímpico e assistindo aulas de conscientização antidoping.

B-girls

Toquinha,  Foto: Ana Branco
  • Toquinha;
  • Drika;
  • Pekena;
  • Nathalia;
  • Karolzinha;
  • Mini Japa;
  • Itsa;
  • Maia.

B-boys

Cleidson Almeida, o Kley, atleta da seleção brasileira de breaking.
  • Dinho;
  • Luan San;
  • Flash;
  • Kapu;
  • Ratin;
  • Kley;
  • Rato;
  • Bart.

B-boys e B-girls estrangeiros

Ainda haverá a presença do atual campeão Pan-americano 2023, o B-boy Phill Wizard e o chileno Matita, que ficou com o bronze. Já entre as mulheres, a B-girl russa Kastet vem defendendo o título do Breaking do Verão. Além dela, a B-girl colombiana Luma foi medalhista de prata nos Jogos Pan-americanos

Regras da competição de breakdance em Paris 2024

Toda competição um b-boy enfrenta outro e uma b-girl enfrenta outra, assim são feitos os rankings quem vencer cada fase, competindo com o vencedor da última rodada  A apresentação é feita com os dois breakers, um dança e o outro assiste e assim segue a competição.

A banca é composta  por cinco juízes que avaliam a técnica utilizada, a variedade de passos e movimentos, performance, musicalidade e a criatividade. Desta maneira são lançadas as notas e, assim, calculadas as pontuações de todas as avaliações.

O que espera dessa nova modalidade em Paris 2024? Conta para a gente!

Leia também: Skate Street Brasileiro leva ouro e prata nos jogos Pan-Americanos 2023

Fontes: GZH, Red Bull, Olympics e Globo Esporte

spot_img

Posts recomendados

Conheça a história da marca Hurley

A Hurley é uma marca californiana de surfwear, que começou com a paixão pelo esporte e pelo mar. Com...
spot_img

Posts Populares

Por que comprar um longboard?

O Longboard, assim como o skate, é um shape que você pode usar com muita versatilidade. Conhecido pelos asfaltos,...